Imprimir
Categoria: Notícias
Acessos: 84

Integrantes da comunidade universitária protestaram na manhã de hoje, 13, no hall da reitoria da UFPA, para exigir a nomeação imediata do reitor reeleito, Emmanuel Tourinho. A manifestação integrou a agenda de mobilizações promovida pela ADUFPA, Sindtifes e DCE contra as ameaças de intervenção de Bolsonaro na UFPA.

Nesta quinta-feira, dia 15, às 9 horas, no hall da reitoria, as três entidades promovem uma Plenária Unificada de professores, estudantes e técnico-administrativos para discutir os próximos encaminhamentos da luta em defesa da democracia e da autonomia na UFPA. O objetivo é intensificar a agenda de mobilização até que o Ministério da Educação (MEC) nomeie o professor Emmanuel Tourinho como reitor da UFPA.

Para a diretoria da ADUFPA, é preciso aumentar a pressão para garantir que a vontade da comunidade universitária expressa nas urnas seja respeitada. “É o momento de pressionarmos o governo, a bancada federal paraense e a Justiça. Já tivemos decisões importantes, como os votos do relator e de dois ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), na ação que pede que o governo federal nomeie reitores que integrem a lista tríplice, de preferência o mais votado. Isso é uma sinalização que podemos ser vitoriosos em nossa luta em defesa da democracia e da autonomia universitária, mas precisamos intensificar nossa mobilização”, afirma o diretor-geral da ADUFPA, Gilberto Marques.

Desde o último domingo, a UFPA está sob o comando do decano do Conselho Superior Universitário (Consun), professor Tadeu Oliver, nomeado reitor interino pelos conselheiros após o fim do mandato do vice-reitor Gilmar Silva, no dia 10 de outubro. Gilmar havia assumido temporariamente a reitoria da UFPA em 22 de setembro, quando a gestão de Emmanuel Tourinho encerrou sem que o MEC nomeasse o novo reitor.

Emmanuel Tourinho e Gilmar Silva foram reeleitos reitor e vice-reitor da UFPA, respectivamente, no dia 30 de junho, com 92,7% dos votos. No dia 14 de julho, o Consun reuniu e referendou o resultado da consulta à comunidade, encaminhando ao MEC uma lista tríplice encabeçada por Emmanuel e Gilmar. Porém, até hoje, o governo não os nomeou e tem feito manobras para impedir a posse e justificar a nomeação de um interventor na UFPA.