Em decorrência do elevado número de candidatos, comunicamos que o resultado da avaliação de currículo será publicado até o dia 05/02 (sexta-feira) e, para os/as candidatos selecionados nesta etapa, a prova prática ocorrerá no dia 08/02, 9h00, na sede da Adufpa no campus da UFPA/Guamá (Belém), altos do Vadião.

Clique Aqui para baixar o Edital

Clique Aqui - Pontuação de avaliação de currículo

ADUFPA CONVOCA CATEGORIA PARA ASSEMBLEIA GERAL NA PRÓXIMA TERÇA

A ADUFPA promove nesta terça-feira, 02, às 17h, na Plataforma Zoom, Assembleia Geral para debater indicativo de greve sanitária, campanha contra a reforma administrativa e outros assuntos importantes para a categoria. Participe!

ADUFPA integra Comitiva de Solidariedade ao Amapá

A ADUFPA integrou a Comitiva da CSP-Conlutas que visitou o estado do Amapá entre os dias 25 e 27 de novembro, para manifestar solidariedade aos moradores e debater propostas para enfrentar a crise gerada pelo apagão, que afetou 13 dos 16 municípios amapaenses. A Comitiva contou com a participação do diretor-geral da ADUFPA, Gilberto Marques.

Durante três dias, a Comitiva visitou comunidades mais afetadas pelo apagão, reuniu com lideranças comunitárias e autoridades do Estado e promoveu uma Plenária Sindical e Popular, para discutir os desdobramentos da luta e a campanha de coleta de assinaturas para uma ação coletiva que irá cobrar das autoridades a responsabilidade pelo apagão e o caos gerado à população.

No Amapá, a Comitiva apresentou à Defensoria Pública um Plano Emergencial construído em conjunto com os trabalhadores, para enfrentar e sair da crise. O Plano conta com 12 pontos, entre eles a estabilidade no emprego e auxílio-emergencial de R$ 1,2 mil durante seis meses ao povo do Amapá. O documento defende ainda a redução e o congelamento dos preços dos alimentos, combustível e gás de cozinha e a isenção da conta de energia elétrica por seis meses.

A crise no Amapá ainda segue um mês depois do incêndio na subestação, que gerou o apagão. O serviço de energia elétrica ainda não foi restabelecido totalmente e a população sofre os efeitos do apagão. “Precisamos seguir com nossa Campanha de Solidariedade e pressão sobre as autoridades, as responsabilizando por essa crise e pressionando para que o Plano Emergencial seja efetivado”, defende Gilberto Marques.

Os docentes da UFPA e a comunidade em geral que quiserem contribuir com a Campanha SOS Amapá é só depositar qualquer valor no Banco do Brasil, Agência 130-9, Conta-corrente180000-0, em nome de Sâmela Ramos, CPF 852288262-20. Após o depósito, é importante mandar comprovante para o telefone da secretaria da ADUFPA: (91) 988830818.

Foto: Wellingta Macedo/CSP-Conlutas

 

 


Adufpa seleciona profissional da comunicação, conforme Edital Nº01/2021. A remuneração é de R$ 3.600,00 bruto + vantagens, com carga horária de 5h diárias presenciais, de segunda a sexta, em regime CLT. O período de inscrição vai do dia 28/01 a 03/02, sem contar os fins de semana, das 9h ao meio dia, na Casa do Professor da Adufpa, localizada na rua dos Caripunas, 3459, entre avenida 3 de Maio e 14 de Abril.

 

Participe!

Clique Aqui para baixar o Edital

Clique Aqui - Pontuação de avaliação de currículo

Nova diretoria do ANDES-SN é empossada

O ANDES-SN realizou na tarde desta terça-feira, 1º de dezembro, o 10º Conad Extraordinário. Em virtude da pandemia de Covid-19, o encontro foi transmitido virtualmente para todo o Brasil, desde a sede do sindicato, em Brasília, e foi marcado pela posse da nova diretoria eleita no início do mês de novembro e que permanecerá à frente da instituição no biênio 2020-2022.

O encontro iniciou com a participação remota de membros de outras entidades representativas da classe estudantil e trabalhadora, como a União Nacional do Estudantes (UNE), Fasubra Sindical, Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica (SINASEFE), a CSP-Conlutas, entre outras. Eles salientaram a importância das lutas realizadas em parceria com o ANDES-SN ao longo dos últimos dois anos e se comprometeram em dar continuidade à criação de novas estratégias que possam intensificar e perpetuar as lutas e a resistência.

Em seu último discurso como presidente do ANDES-SN, Antonio Gonçalves analisou a missão delegada pela base há pouco mais de dois anos. Ele elencou os avanços alcançados pelo sindicato em meio ao governo de Jair Bolsonaro, ininterruptamente marcado por significativos retrocessos civilizatórios, e destacou a necessidade de continuar a enfrentar as reformas antidemocráticas que não modernizam, mas sim tornam as relações de trabalho mais precarizadas, eliminam direitos e implantam a barbárie no Brasil. 

Antonio também lembrou das “inspiradoras” lutas da classe trabalhadora em países sul-americanos, como o Chile e a Bolívia, para reforçar que direitos são alcançados por meio da organização dos trabalhadores, da unidade e da capacidade de se defender de ataques. “A nossa luta deve continuar para derrotar o governo de Jair Bolsonaro. Vamos ocupar as ruas para ampliar as nossas lutas e consolidar ainda mais o ANDES como um sindicato independente e autônomo”, disse. 

Antonio comentou ainda sobre o necessário isolamento imposto pela pandemia que, segundo ele, trouxe inúmeras dificuldades para o movimento docente em todo o país. “A diretoria estabeleceu como prioridade salvar vidas e nos adaptamos a essa nova realidade. Intensificamos os esforços para o fortalecimento do ANDES-SN, viabilizamos a criação de novas seções sindicais, a volta de antigas seções. Estivemos, mesmo de um modo diferente, em todas as lutas unitárias em defesa da nossa categoria”, completou, desejando à nova diretoria disposição e empenho para a manutenção da luta do sindicato.

A presidente eleita do ANDES-SN, Rivânia Moura, começou seu discurso parabenizando a diretoria anterior pelas lutas dos últimos dois anos, em meio a um cenário totalmente adverso, e citou o educador Paulo Freire para encorajar a base a lutar pelas causas já existentes e também aquelas que surgirão nos próximos meses e anos. “É fundamental diminuir a distância entre o que se diz e o que se faz, de tal forma que, num dado momento, a tua fala seja a tua prática”, afirmou.

Rivânia lembrou que há inúmeros desafios para o movimento sindical e destacou a necessidade de engajar esforços para lutar contra o racismo estrutural, a lgbttifobia e, sobretudo, contra a reforma administrativa, que tem o objetivo de precarizar direitos trabalhistas e desmontar as universidades públicas do país. “Vou usar uma frase do escritor João Guimarães Rosa: o que a vida quer da gente é coragem! É urgente a organização da luta contra a reforma administrativa e contra a conjuntura nacional de um governo de extrema direita que alia uma severa política de ajuste fiscal ultraliberal ao profundo conservadorismo”, garantiu. 

A presidente também falou sobre ações que acontecerão ainda no mês de dezembro. No dia 8 de dezembro o ANDES-SN participará de uma plenária nacional com reitores e reitoras eleitos  não empossados, na qual reforçará a necessidade de o presidente Jair Bolsonaro reconhecer os eleitos; no dia 10, a entidade participará de ato nacional em Brasília, que mostrará a resistência dos servidores municipais, estaduais e federais contra a Reforma Administrativa e junto aos movimentos sociais reforçarão a necessidade de permanência do auxílio emergencial. Rivânia também falou sobre intensificar a articulação com o movimento estudantil e dos técnicos, a fim de garantir a defesa da autonomia e da democracia nas universidades públicas, institutos federais e Cefet, e nesse sentido, já anunciou a primeira campanha da nova diretoria que na semana de 14 a 18 de dezembro estará empenhada na organização de uma frente contra as intervenções nas universidades.

O evento foi encerrado com uma emocionante live show do compositor e cantor Chico César, disponível nas redes sociais do ANDES-SN.

Fonte: ANDES-SN